sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Umpa Lumpas Também Casam


Fui a um casamento ontem a noite.

Pela manhã minha (até então) namorada chegou em minha casa e não dei bola por que estava com sono e com voz e hálito de dragão. Ela foi ao salão com minha mãe e eu a ignorei.

O casamento era de um amigo de serviço de minha mãe, todavia, antes delas voltarem minha tia ligou avisando que um de meus tios estava no hospital e queria que minha mãe fosse lá – o que acabaria com a história de ir ao casamento – avisei.

Ela foi.

Nós ficamos de sobreaviso.

Quando minha (até então) namorada chegou do salão ela estava com a bunda azul, pois encostou numa parede com tinta fresca.

Meu tio teve melhora e minha mãe ligou para nos arrumarmos enquanto ela voltava. Dito e feito

Perdemos um ônibus na cara.

Ficamos uma cara esperando outro.

No caminho p lá um carro dirigido por uma mulher ultrapassou o ônibus que estávamos e adivinha? O ônibus bateu nela.

Descemos todos e ficamos a beira da estrada.
A mulher é uma coroa evangélica escrota...
Foi engraçado!

Daí fomos reconduzidos a outro ônibus e uma rua antes do terminal rodoviário tem uma linha de trem e justo na nossa vez passa o trem...

GIGAAAAAANTEEEEEEEEEEE

(primeira vez que vi um trem... Cansei de ver)

Quando chegamos no terminal vimos que o segundo ônibus que pegaríamos tinha acabado de sair e o perdemos por esperar o trem

Quando chegamos lá descobrimos que o homem que ensinou o caminho era meio doido por que disse que demoraria umas duas horas do terminal até o local e levamos vinte e cinco minutos, ou seja, chegamos uma hora antes e a igreja ainda estava fechada por que dada essa informação – que demoraria umas duas horas - saímos bem cedo de casa.

Foi um porre.

O pastor (o casamento era evangélico ainda por cima) se alongou horrores!


O pastor disse a palavra "mistério" em seu discurso de casamento umas 368 vezes e observei que lá tinha muita gente jovem - no máx 40 anos - e muita criança. MUITA!

Concluí que:
O pessoal lá casa pra fuder.

O noivo tinha 21 e a noiva 16
Namoram um ano, casam e enchem o mundo de bacurizinhos pra casar antes de terminar a escola.


Putz!

Daí depois do pastor concluir seu sermão com o 368º mistério fomos a festa, mas não poderíamos demorar por lá, pois minha irmã tinha que trabalhar no dia seguinte e demora para chegar em casa visto a demora para chegar até lá. Ela só lembrou disse neste momento da jornada.

O local da festa ficava a umas 9 quadras de distância: entrando por ruas, becos e vielas, por entre terrenos baldios e escombros de construções públicas da prefeitura; tinha até um circo ferrado no caminho!

Os meninos - muitos deles - queriam ir mexer com o leão velho - eu dei o maior apoio e incentivo, mas alguma mãe os impediu.

Chegamos lá.

Uma quadra esportiva era o salão de festas!

Não tinha mais mesas vazias então nos sentamos numa mesa com pessoas desconhecidas próximo ao balcão.

Seriamos a primeira mesa a ser servida e quem eram os garçons?

Os Umpa Lumpas, claro!. Digo: um monte de crianças de 10 anos de lá.

Correção: Namoram um ano, casam e enchem o mundo de bacurizinhos pra casar antes de terminar a escola e servirem de garçons nos casamentos de seus coleguinhas mais velhos enquanto sua hora não chega.

Detalhe: a nossa seria a PRIMEIRA mesa a ser servida.

Veio um menino segurando uma bandeja com dois pratinhos de salgados.

Ele colocou o primeiro dos pratinhos sobre a mesa e com o desequilíbrio que causou: a bandeja virou e os salgadinhos caíram no chão e no colo da minha mãe!

O menino ficou paralisado.

Nós da mesa dizendo: "sem problemas", "fica tranqüilo" e coisas assim (eu na verdade não esperava hora dele sair de perto pra poder rir) e ele simplesmente congelou.

Estado de choque

Uma mulher veio e o levou para dentro do balcão. Depois disso ele sentou com algumas pessoas num canto e não "serviu" mais...

As mulheres com quem dividíamos a mesa fizeram terrorismo psicológico na minha mãe e irmã que logo se apressaram em ir embora com receio da paralisação dos ônibus...

Ou seja, comi pouquíssimo em relação ao que queria e esperava!

Ódio!

No ponto de ônibus apareceram umas 8 piriguetes

As gurias não tinham nem 15 centímetros de saia... O pior de tudo é que eram feias com força - só tinha 2 interessantes, mas idiotas sem esforço - E ainda assim levei um beliscão de minha (até então) namorada por reparar demais - por 2 segundos!

Já no ônibus da volta pra casa aparecem duas meninas vendendo doce com seu discurso ensaiado e mal executado e depois um cara drogado cheio de mãos e olhares. Eletrizado, com certeza cheirou coca.

Em suma foi isso o meu programaço de ontem

Desventuras em série... Faltou me usarem de personagem nesses livros...

Tive de passar numa lanchonete ao descer do ônibus por que como todo bom pobre que sou fui ao casamento sem jantar para conseguir comer mais.

Um comentário:

Regiany disse...

kkkkkkkkkkkk
Muito bom esse texto Alemão!!
Adoreiiii
Beijos